quarta-feira, junho 02, 2010

Porta do Tempo



Quando a porta do tempo solta a emoção
Dos olhos correm rios que enchem o mar.
É o choro que às vezes lava o coração
E um coração limpo é joia a preservar.

1 comentário:

Maria disse...

Bicho amigo

É por isso que amanhã
Vou de novo p’ra Tomar
É lá que encontro o Nabão
E lembranças a guardar.

Abro portas, fecho portas
Corro ruas sem parar
E naquelas ruas tortas
A infância vou achar.

Os sonhos e ilusões
Que eu teimo não esquecer.
Coisas que só corações
Como os nossos sabem ver.

Beijo e bom fim de semana
Maria

A Fonte 672

Figueira de Castelo Rodrigo Na beira do caminho, junto ao Convento de Aguiar, base da encosta onde se encontra o que resta das muralhas ...