domingo, fevereiro 14, 2010

a fonte 476


Depois da travessia do Tejo, desfilamos pelas estradas raianas, em direcção à Serra de S. Mamede.
Fazemos uma paragem para aconchegar a barriga com uma bifana no pão e uma "mini".
Não vi o nome da terra, nem o do café onde parei, mas como li, de relance, um letreiro algures na rua, que dizia "Katekero" pensei: «ora cá está um nome que já nos habituamos a encontrar por esse país fora, em sítios "de comes e bebes"».
No entanto, acho que o café devia ser o "Fonte Nova", pois é esse o nome da fonte representada no painel de azulejo (obra de Maria José, 2009) que se destaca na parede do salão.
E a terra é Gáfete (estranha acentuação a deste vocábulo), informou-nos a senhora que serviu à mesa a bela bifana de carne de porco temperada "à maneira".
Já agora, acrescento que esta foi uma das 12 Vilas Raianas do Prior do Crato. Chamava-se então, coisa complicada, Vila Nova de S. João Baptista de Gáfete.
E mais uma coisa... até houve um Barão de Gáfete, um homem ilustre cuja casa e busto se conservam (e bem) nesta vila que já foi sede de Concelho.


Sem comentários:

A Fonte 696

"Cascata dos Pisões" (Sintra) O que são, ou eram, "pisões", afinal? O pisão era um engenho mecânico composto por u...