quarta-feira, março 17, 2010

Quinhentos Anos



Cá, onde o mal se afina, o bem se dana,
E pode mais que a honra a tirania;
Cá, onde a errada e cega Monarquia (1)
Cuida que um nome vão a Deus engana;

Cá, neste labirinto, onde a Nobreza,
O Valor e o Saber pedindo vão
Às portas da Cobiça e da Vileza;
Cá, neste escuro caos de confusão...


(1)
Basta substituir Monarquia por Democracia,
para que estes versos de um soneto de Luis de Camões,
fiquem perfeitamente actualizados - 500 anos depois.

2 comentários:

Maria disse...

Tão actuais que até chateia, amigo.
O que vale é que talvez eu diga como o Camões: Morro com a Pátria. Porque ver o meu país nesta "apagada e vil tristeza" doi um bocado.
Beijo
Maria

M.Júlia disse...

Tanto da vida conheço
que, ao ver o mundo tão torto,
às vezes, quando adormeço,
desejava acordar morto.

António Aleixo

Amanhecer DLVII

ALMEIDA A luminosidade do sol rasante invadindo o corredor de uma das portas indefesas da Fortaleza. Daqui nada, reúne a comitiva no &qu...