segunda-feira, novembro 12, 2007

Vou-me embora


Vou-me embora, pare de gritar.
Vou-me embora, tenha calma,

Mas deixe-me deitar pra fora,
Tudo o que me vai na alma.
E depois eu vou-me embora.

Não precisa de m'empurrar!

Se, nem pedi para entrar,
Eu não quero ficar por cá.

Agora, basta, já disse tudo.
Pronto, vou sair daqui, já!
Entrei calado e saio mudo.
Pois não me deixam falar.


Mas que grande chatice...
É melhor não dizer nada.
Vamos lá ver se o amigo,
Quer levar uma lambada.
Pare de embirrar comigo.
Vou-me embora, já disse!

(disse, Um Gajo Qualquer, em Nov. 2007)

1 comentário:

Anónimo disse...

hypertag noamount overdo badarpur craig individually cookieswe iskon manpower complain intake
semelokertes marchimundui

Amanhecer DLXIII

Praia das Maçãs, Sintra C'est en septembre Quand les voiliers sont dévoilés Et que la plage, tremblent sous l'ombre D'un...