quarta-feira, setembro 27, 2006

Discorrendo (3)



Se não nos for possível descrever um estado de alma,

podemos sentir um indescritível estado de espírito, impotência, impaciência e por cima de tudo, uma emergente enxurrada de sentimentos de insegurança que inundam todo o espaço do subconsciente,

deixando à superfície apenas um conjunto de destroços, mais ou menos inseguros, instáveis, aos quais nos procuramos agarrar para não naufragar nos profundos, escuros e desconhecidos abismos do insondável - o pensamento humano.

Pois cá para mim, é assim:

  • Penso porque existo!
  • Existo porque penso!

pensem lá bem nisto.

2 comentários:

Quim disse...

Logo, existes.
Mas às vezes parece que não.

(L)oca disse...

Talvez penses de mais..."olha quem fala"...

Amanhecer DLVIII

COVILHÃ Correndo pelo vale do alto Zêzere Já chegámos? O quê! Ainda não? Então vou dormir mais um bocadinho...