quarta-feira, setembro 13, 2006

As uvas


Uma raposa aproxima-se do parreiral,
Vem farejando refeição, mesmo que frugal.
Está faminta, há dias que não se alimenta,
Comeria até jiló recheado com pimenta.
Ela olha para o alto e começa a salivar,
Lambe os beiços, tenta o salto, sem nada apanhar.
Frustrada, ela exclama sem descer do pedestal:
"As uvas estão verdes, até me podem fazer mal!"

(Fábio Stelzer, in Recanto das Letras)

Sem comentários:

Amanhecer DLXIII

Praia das Maçãs, Sintra C'est en septembre Quand les voiliers sont dévoilés Et que la plage, tremblent sous l'ombre D'un...