domingo, maio 14, 2017

A Fonte 658


PONTE DA BARCA

Acerca desta, tenho pouco, muito pouco a dizer, a não ser que a imagem resultante não ficou de acordo com o enquadramento que eu tinha previsto - a torre e a frontaria da igreja e o crucifixo do pelourinho ficaram meio obliterados por uma espécie de pinheiro nórdico.
Como é que eu não percebi isto quando fiz a fotografia? Já sei:

  1. o vinho verde tinto com que acompanhei o "bacalhau frito à minhota" ao almoço, era um excelente "vinhão";
  2. a minha máquina fotográfica tem um pequeno ecran, onde eu mal consigo perceber o que estou a fotografar. prefiro aquelas que têm um buraquinho para espreitar - ah que saudades da minha "reflex" Nikon!

Sendo assim, aqui fica apenas mais uma fonte na minha colecção de recordações de incansável viajante.

Sem comentários:

Amanhecer DLVIII

COVILHÃ Correndo pelo vale do alto Zêzere Já chegámos? O quê! Ainda não? Então vou dormir mais um bocadinho...