terça-feira, maio 03, 2011

A Fonte 574


AROUCA

Se eu tivesse queda para as letras, como tenho para comer e passear, muito haveria de escrever acerca deste lugar, onde tenho sempre vontade de voltar, quanto mais não seja para saborear um prato de vitela arouquesa, lamber os dedos com uns doces originais e respirar o ar puro que sopra dos agrestes cumes das serranias que rodeiam esta Vila.

Sem comentários:

Amanhecer DLVII

ALMEIDA A luminosidade do sol rasante invadindo o corredor de uma das portas indefesas da Fortaleza. Daqui nada, reúne a comitiva no &qu...