terça-feira, novembro 15, 2011

a fonte 590


SINTRA

Ao volante do Chevrolet pela estrada de Sintra,
Ao luar e ao sonho, na estrada deserta,
..
Vou passar a noite a Sintra por não poder passá-la em Lisboa,
Mas, quando chegar a Sintra, terei pena de não ter ficado em Lisboa.
Sempre esta inquietação sem propósito, sem nexo, sem conseqüência,
Sempre, sempre, sempre,
Esta angústia excessiva do espírito por coisa nenhuma,
Na estrada de Sintra, ou na estrada do sonho, ou na estrada da vida...

"Ao Volante", de Álvaro de Campos

1 comentário:

Maria disse...

Bicho
A eterna inquietação de Álvaro de Campos. A nossa inquietação.
Beijo
Maria

De pedra e cal

Alandroal O meu caminho passa novamente pela vila dos "aloendros", os quais, apesar de já ser primavera, ainda não estão flori...