terça-feira, novembro 09, 2010

o Eco


CALVÁRIO, em AROUCA

E estava eu aqui, neste curioso Púlpito (datado de 1640) a pensar alto:

«Oh céus, a minha vida é um calvário, já não sei o que hei-de fazer..?»

Eis senão quando, ouvi aquela voz que parecia vir de trás de uma cruz, dizendo:
«A vida é um eco.
Meu amigo, se não estás satisfeito com o que estás recebendo,
observa melhor tudo aquilo que estás emitindo.»
Percebi depois que aquela era a voz da minha amiga Consciência, uma amiga de longa data, muito chegada mas também muito discreta e controversa.

Sem comentários:

A Fonte 672

Figueira de Castelo Rodrigo Na beira do caminho, junto ao Convento de Aguiar, base da encosta onde se encontra o que resta das muralhas ...