segunda-feira, maio 18, 2015

A Fonte 650




Ponte de Lima

Fonte onde se evoca uma poesia de António Feijó - "O AMOR E O TEMPO"
Num outro poema dedicado ao Rio Lima, ele escreveu:

«São águas claras sempre cantando,
Verdes colinas, alvor de areia,
Brancas ermidas, fontes chorando,
Na tremulina da lua cheia.»

Sem comentários:

Amanhecer DCV

Caminnha (Portugal) Sente-se aqui, na minha janela, o cheiro da maresia que sobe desde a foz do Rio Minho. No fundo da imagem, o incon...