quinta-feira, dezembro 02, 2010

a fonte 556


Vilar de Maçada (Alijó)
foi, como algumas pessoas sabem, a terra que viu nascer José Sócrates Pinto de Sousa.
«Entra-se em Vilar de Maçada ou pela Rua da Fonte ou pelo Adro.
Noutro tempo era a minha terra uma formosa aldeia que se espreguiçava ao longo da estrada nacional. Desde o Pontão até ao Adro da Igreja, por ali acima, erguiam-se altaneiras árvores de tília e de cerejeira que eram o cartão-de-visita a todos que, no Verão (acolhendo de bom grado a frescura da sua sombra) ou no Inverno (mirando as escultóricas formas dos seus troncos e ramos, na saudade de as ver repletas de folhagem viçosa), por ali iam de passagem ou vinham de visita matar saudades dos seus e do nosso Santo.

Nasceu orientada a Sul, bordejando a estrada que a dividia em duas funções específicas: para N, a parte habitacional, para S, os lameiros e vinhas do seu sustento. Beija-a o sol de manhãzinha reflectindo no alvo das casas caiadas, até ao seu deitar, cansado de iluminar e aquecer a beleza daquela terra e a singeleza das suas gentes risonhas e fagueiras.
Era também conhecida pelas muitas e bonitas moças casadoiras tal como diz a canção, Hino de Vilar de Maçada:

A nossa terra é linda
Tem raparigas de apetecer
Têm bocas de cereja
Que dá vontade de as comer.
»
Agradecimento:
Pequeno extrato de um artigo que fui desencantar no "Baú de Recordações", autoria de "a serrana", (Celeste Coutinho) uma professora aposentada que se dedica à escrita de contos e poesia que publica num excelente Blog da comunidade Sol.

Sem comentários:

Amanhecer DLXIII

Praia das Maçãs, Sintra C'est en septembre Quand les voiliers sont dévoilés Et que la plage, tremblent sous l'ombre D'un...