quarta-feira, junho 06, 2012

a fonte 619



A Guerra das Laranjas
O prólogo das Invasões Francesas de Portugal durou 18 dias, durante os quais o exército espanhol de Manuel Godoy, acobertado pelas tropas de Napoleão, invadiu o Alto Alentejo e tomou de assalto, com alguma facilidade, a maioria das praças-fortes raianas. Apenas em Elvas ofereceu bastante resistência.

Após um acordo (Badajoz, 6 de Junho) quase todo o território foi de imediato restituido a Portugal, excepto OLIVENÇA que desde então se mantem, inexplicavelmente, sob administração espanhola.

2 comentários:

Maria disse...

Amigo Bicho:
Desta vez, não estamos de acordo. Estive, há uns 2 anos em Olivença e fiquei encantada. As casas armoriadas, o nomes portugueses nas ruas (não calles), tudo é português.
Só as pessoas, não o querem ser. Comparada com algumas vilas e cidades fronteiriças portuguesas, a diferença é que está muito mais conservada e arranjada.
É uma terra linda, de traça muito nossa. Se calhar, se nos pertencesse, já nem existia.
Assim, raiana, meia portuguesa, meia espanhola, talvez seja mais feliz.
Claro, que antes de a ter visto, eu achava que devia ser nossa. Agora, desde que continue linda e cuidada, já não me preocupo.
E a Espanha é já aqui tão perto!...
Onde foste inventar esta fonte? Que coisa estranha, amigo.
Beijinho e... Viva Olivença, espanhola ou portuguesa.
Maria

O Bicho disse...

Mas, afinal estamos de acordo: também lá passei uma tarde e gostei do ambiente - comi uns petiscos e bebi umas "cañas "à maneira" numa tasca.
Quanto ao resto, eu apenas relembrei uns acontecimentos históricos.
Em relação à pertença da cidade, acho que é uma situação estranha apenas, tal como acontece em Gibraltar.

Amanhecer DLXIII

Praia das Maçãs, Sintra C'est en septembre Quand les voiliers sont dévoilés Et que la plage, tremblent sous l'ombre D'un...