quarta-feira, fevereiro 08, 2012

a Fonte 609


Fuente Garcia - a nascente do Tejo

Tejo
- o rio que passa mais vezes por aqui,
por este repositório público de devaneios fotográficos e escritos que é o blog do Fotociclista.

- o rio que passa pela minha terra,
Lisboa, cidade amiga, cidade antiga, que também foi de Camões e de Pessoa.

- o rio que me viu nascer - "inda mal abria os olhos, já era para te ver.."

- o rio que eu fui ver nascer - algures entre Gualajara, Cuenca e Teruel.

- o rio que eu vejo, quase todos os dias, morrer às portas de Lisboa, desaparecer da nossa vista, fundindo-se no imenso oceano.
 
- o rio que, mais cedo ou mais tarde, se a vida neste planeta decorrer naturalmente, há-de ver-me desaparecer deste mundo para não mais voltar.

2 comentários:

Maria disse...

Bicho amigo:
O nosso Tejo nasce pequenino, para se transformar neste mar que temos em Lisboa. Tão frágil, gota a gota, vai crescendo, recebe generoso, as águas de outros rios, que não têm força para chegar ao mar. O meu Nabão, desagua no Zêzere, a pouca distância, deste se lançar no Tejo. Com estes e outros rios, torna-se a maravilha que adoramos. É caso para dizer que, é bonito de nascença.
Foi muito bom voltar a ver-te, meu amigo. O João estava todo feliz, porque conseguiu juntar os 2 colegas preferidos.
Beijinho
Maria

O Bicho disse...

Foi excelente, o reencontro. Durante algumas horas senti-me muito mais novo.
Um abraço ao João, um beijinho para ti e as melhoras para o teu (outro) Nabão.

Amanhecer DLVII

ALMEIDA A luminosidade do sol rasante invadindo o corredor de uma das portas indefesas da Fortaleza. Daqui nada, reúne a comitiva no &qu...