quarta-feira, fevereiro 01, 2012

A Fonte 608



Fotografia de Daniel Casado, um "Alentejano dos Açores",
que se tem dedicado a registar e divulgar em imagens, as coisas interessantes da natureza, costumes, tradições e da cultura da região onde se radicou - Portalegre.

Passei já uma ou duas vezes por este lugar (Reveladas, no Parque Natural da Serra de S. Mamede) mas não conheci a "TI ESPERANÇA" a quem terá sido dedicada esta fonte.
Encontrei, no entanto, numa antologia um poeta português da actualidade (que deve andar pelos 83 anos de idade) João Rui de Sousa, que escreveu um poema dedicado

A TI, ESPERANÇA

..
A ti, que diariamente nos acolhes
e nos trazes riso fresco
e nos dás uvas
e nos fazes cantar
nas horas difíceis.
A ti, que ofereces água
a todos que passam
e mostras um caminho
aos poucos iluminados.
A ti esperança, eu dedico
agora e sempre
este poema.


3 comentários:

Maria disse...

Bicho amigo:
Só hoje reparei na foto e na poesia, muito bonita.
Alentejano/Açoreano? qual o espanto?
São calmos, acolhedores, amigos, sinceros, agarrados à terra. O meu cunhado era Açoreano, do Pico e, era das melhores pessoas que conheci. Um tio do João, era Alentejano da Chança e, era bom e amigo.
Têm tudo a ver.
Beijinhos
Maria

O Bicho disse...

Verdade, Maria,
estive várias vezes nos Açores e foi sempre no Pico onde senti a melhor hospitalidade;
quanto aos alentejanos, conheço bem, fui praticamente criado no meio deles - na Porcalhota;
tenho amigos e failiares em muitas lugares do Alentejo, desde Odemira até Baleizão, no Baixo e no Alto... e até na Chança, terra do nosso amigo Júlio César.

Janita disse...

Quem não gosta do Alentejo?

Bom clima, gente hospitaleira, belas planícies a perder de vista, óptima gastronomia!
Ahh, que saudades!

Sou natural do Baixo Alentejo...

O poema é muito bonito no seu duplo significado.

Amanhecer DLXIII

Praia das Maçãs, Sintra C'est en septembre Quand les voiliers sont dévoilés Et que la plage, tremblent sous l'ombre D'un...