segunda-feira, dezembro 05, 2011

a ver navios 115



o navio desaparece
rumo ao anoitecer
a onda que esmorece
no flanco da mulher

é o navio do desejo
vogando na lua cheia
e o homem, caranguejo
no céu feito de areia

o corpo que se esfrega
em agitação na praia-mar
no corpo que se entrega
na beira-rio, a ondular...

(rima de letras desenquadradas)

Sem comentários:

A Cidade Branca

Terreiro do castelo (Estremoz) Nesta praça voltada a sul, com excepção dos automóveis estacionados e o "mamarracho", espécie d...