quarta-feira, julho 21, 2010

Nuvens


«Nuvens... Existo sem que o saiba e morrerei sem que o queira.
Sou o intervalo entre o que sou e o que não sou, entre o que sonho e o que a vida fez de mim, a média abstracta e carnal entre coisas que não são nada, sendo eu nada também.
Nuvens... Que desassossego se sinto, que desconforto se penso, que inutilidade se quero!»


(Fernando Pessoa, no "Livro do Desassossego")

Sem comentários:

A Fonte 672

Figueira de Castelo Rodrigo Na beira do caminho, junto ao Convento de Aguiar, base da encosta onde se encontra o que resta das muralhas ...