sexta-feira, setembro 24, 2010

abre a porta



disseram-me um dia,
«não vale a pena desistires disto, assim sem mais nem menos;
não vale a pena dizeres que já não gostas de escrever aqui;
não vale a pena fingires que este blog não tem importância para ti;
não vale a pena sentires que aquilo que escreves representa tão somente uma infinitésima parte das tantas e tantas coisas (boas ou más, feias ou bonitas, interessantes ou insípidas, com ou sem graça) que muita gente, por todo o mundo, publica para todo o mundo ver;
não vale a pena pensar mais nisso;


assim sendo, ABRE A PORTA e DEIXA SAIR A IMAGINAÇÃO para CRIAR qualquer COISA que SE VEJA, que SE LEIA e principalmente, que SE SINTA.»

Aquele abraço,
de um amigo

3 comentários:

Anónimo disse...

Há sempre alguém do outro lado,
que recebe as nossas reflexões,
que se distrai a imaginar o
desconhecido. Palavras ou imagens
sem rosto.
Porta nº 1 de uma rua qualquer.
M.Júlia

O Bicho disse...

Já agora esclareço que esta Porta nº 1 fica num largo e miradouro bem lá no alto do Castelo de Marvão, Alentejo.

fatmagülün suçu ne disse...

Thank you

Amanhecer DLXIII

Praia das Maçãs, Sintra C'est en septembre Quand les voiliers sont dévoilés Et que la plage, tremblent sous l'ombre D'un...