sábado, dezembro 26, 2009

Amanhecer CC


O último amanhecer das férias de Inverno 2009.
A noite foi de temporal no Mar.
O Vento que soprou forte de Nordeste arrastou para a praia muitas Caravelas Portuguesas.
Dezenas delas, jazem na areia misturadas com restos de Algas mortas e pequenos pedaços de Coral.
Com os seus tons de azul forte, destacam-se na areia quase branca, mas são praticamente invisíveis na água do mar.

Quase todas (como a desta foto) têm a bolsa flutuante ainda repleta de ar. Estão semi-mortas, mas não são completamente inofensivas.
O veneno dos finos tentáculos, agora meio embrulhados e partidos, deste bicharoco não é para brincadeiras - hoje não há banho de mar para ninguém.

E com este, acabaram-se os Sábados de 2009.
P'ra este ano, já não temos mais. Gastámos todos.
P'ró ano, logo se vê, pode ser que se arranje mais..?

sábado, dezembro 19, 2009

Amanhecer CXCIX


Visto daqui, da falésia das Azenhas-do-Mar,
percebemos que se trata de um belo pôr do sol - um anoitecer.

Visto do outro lado, do lado de lá do mar,
a esta mesma hora, acontece o nascer do sol - um amanhecer.

segunda-feira, dezembro 14, 2009

Concentrado


Só!
Consciência centrada nas emoções interiores.
Os pensamentos rodopiando em torno de si mesmo.
Sentimentos ocupados no gozo perfeito da passagem do tempo.
O tempo que roda sem parar.
Nas rodas do tempo.
Fora do tempo.
Preso no íntimo do ser.
Isolado no âmago da alma.
Cercado de emoções agrestes.

sábado, dezembro 12, 2009

Amanhecer CXCVIII


Igreja do Mosteiro dos Jerónimos

Uma manhã de Sábado com Sol, que está de volta aos céus de Lisboa, ideal para um pequeno passeio pelas riquezas de nossa história para abrir o apetite ao almoço.
Um almoço tipicamente lisboeta (pataniscas de bacalhau com arroz de grelos) numa tasquinha muito perto do Palácio onde mora o Presidente da República Portuguesa.

sexta-feira, dezembro 11, 2009

a Fonte 463


Figueiró dos Vinhos
"Fonte das Freiras"
Na lápide está a data de 1692, mas dizem que a fonte tem origens mais remotas, porque servia para abastecer de água um Convento que aqui existiu desde muito antes do sec. XVII.
A fonte resistiu à passagem do tempo, mas o convento desapareceu, talvez porque as religiosas já não conseguiam lavar tantos pecados na água da fonte.

quinta-feira, dezembro 10, 2009

quarta-feira, dezembro 09, 2009

o costume


Hoje, como ontem, não me apetece escrever...
E a coisa, isto é o "post" do dia, devia ficar por aqui. Juntava-lhe a habitual fotografia (como sempre, ou quase sempre, original), publicava a mensagem e... «pimba, está feito por hoje, adeus, amanhã há mais, ou logo se vê...»
Apesar disso, como é costme, aqui estou eu, empenhado em acrescentar mais qualquer coisita.
Tinha que ser, pois é muito difícil passar um dia ou dois sem pensar num texto, um tema, um poema, para acompanhar a imagem de uma Fonte ou de um Navio ou de uma Treta qualquer que eu, nestes momentos, acho que ilustra uma ideia, ou fica bem com alguma frase mais ou menos filosófica, ou poética.
Ah! Palavras... pois, pois, já sabemos, palavras, leva-as o vento, mas como disse outro inspirado, não há machado que corte a raiz ao pensamento.
É por isso que, é raro o dia em que eu consigo pôr de lado este vício da composição e publicação de um "post" no vosso Blog do Fotociclista.

segunda-feira, dezembro 07, 2009

a Fonte 462



Por detrás desta fonte passa a Vala do Carregado.
A 28 de Maio de 1855 inaugurou-se a carreira diária da Mala-Posta entre o Carregado e Coimbra.
Os passageiros e o correio saíam de Lisboa numa barca da Companhia de Barcos e Vapores do Tejo, seguiam até ao cais da Vala do Carregado, donde partia a diligência (de 6 lugares, puxada por 4 cavalos) ao meio dia.
À mesma hora saía de Coimbra uma outra diligência que chegava à estação da Vala do Carregado pelas 11 horas da noite.
Em 1859 (há 150 anos) esta carreira alargou o seu trajecto e passou a ligar Lisboa ao Porto.


domingo, dezembro 06, 2009

Indiferente


Tenho andado assim como o nosso gato,
aqui meio escondido, debaixo da mesa,
com os olhos e ouvidos abertos,
mas
indiferentes ao que se passa à nossa volta.

Uma explicação, uma razão... haverá concerteza, não uma mas várias. Arranja-se sempre uma causa, um motivo primário ou remoto, para justificar todo e qualquer estado de espírito dos humanos e também (a Psicologia é uma ciência do "caraças") dos outros animais.
No meu "caso", não me apetece (grande calão) dar muitas explicações. Que eu as tenho, é verdade sim, tenho feito muita introspecção nos últimos anos, mas para quê..? Não vou dizer.

sábado, dezembro 05, 2009

Amanhecer CXCVII


Hoje, ao subir o Chiado, parei um bocadinho a admirar este pequeno jardim.
Enquanto isso pensava,
«não tem conto as vezes que passei por aqui e naturalmente que o meu olhar passou por esta loja, mas sem a ver, isto é, sem prestar atenção, de tal modo que me parece hoje que nunca a tinha visto antes».

quinta-feira, dezembro 03, 2009

a Fonte 461


Vila Nova da Rainha
Está em obras de reparação, esta espécie de fonte.
Bem que podiam aproveitar o ensejo e fazer com que esta coisa ficasse menos parecida com um urinol público.
Quando aqui cheguei, sequioso, após uma caminhada de três horas pelas estradas dos campos da Azambuja, perdi a vontade de beber água.
Felizmente, logo ali a 50 metros, do outro lado da estrada nacional (que aqui não é aconselhável atravessar*) construiram um excelente local de descanso, um parque de merendas com um belíssimo chafariz.

(*)
Para isso convém utilizar a passagem subterrânea encostada à Ribeira da Ota que aqui passa paralela à Ribeira de Alenquer, por baixo da EN10.

quarta-feira, dezembro 02, 2009

a ver navios 90

Agora temos outro sítio para ver navios.

É um sítio "porreiro" na Internet;
Chama-se "O NÁUTICO" o novo sítio;
Responsável e autor:
Rui Salvador, um marinheiro "Blogador" da Porcalhota.

terça-feira, dezembro 01, 2009

a Fonte 460


Arcos-de-Valdevez

O painel de azulejos do sec. XVIII não tem nada que ver com a Restauração de 1640, mas fica bem aqui para lembrar o acontecimento histórico: "o fim de 60 anos de domínio dos Reis (Dinastia dos Filipes) de Espanha sobre Portugal".
Antigamente era costume comemorar em Portugal este dia 1º de Dezembro.
Depois do 25 de Abril de 1974, as celebrações foram perdendo importância de tal modo que, hoje, para a maior parte da juventude, este dia não tem significado - é um feriado nacional e... pronto.

Amanhecer DLIII

Rio Tejo (Lisboa) Como foi? Bom!? Sim e não: talvez alguns momentos bons para recordar, outros menos maus que acabam por se desvanec...